sexta-feira, 27 de janeiro de 2012

A Gravidez - Part 2 ( Final )

Aí eu resolvi ir procurar meu médico, meu ginecologista.
E ele passou a última ultra pra eu fazer...
Quando eu fiz acusou a perda de líquido e ele me mandou ir imediatamente para o hospital Herculano Pinheiro, em Madureira.
Lá fui maltratada pela médica que disse que eu só estava com 39 semanas e ainda podia esperar. E que eu não estava com perda de liquido nenhuma.

Saí de lá desesperada e conversando com minha mãe decidi ir para o hospital maternidade carmela dutra.
Quando cheguei la, em meio a tantas perguntas tanta gente comecei a passar mal e minha pressão foi a 16/9.
O médico me deu o toque e disse que eu não estava com perda de liquido. mas que ia me internar pela pressão.
Isso no dia 31 de Agosto de 2011.(quarta feira)
Dia 1º minha pressão voltou ao que foi a gravidez inteira... 12/8
Mas eles me mantiveram em observação.
Dia 2, bem na hora do horario de visitas o maqueiro chamou algumas futuras mamães para fazerem um ultra.
Fiz um mini barraco, pq no único momento feliz (visitas) de quem esta ali  eles resolvem faer essa ultra?
 Mas minha mãe e a tia Marieta (rs)
Me incentivaram bastante e eu fui.
Chegou lá eram 6 grávidas... Eu fui a penultima...
¬¬'
E na minha vez adivinhem...
FALTOU LUZ...
Comecei a chorar 
Mas quando a luz voltou a médica que estava fazendo a ultra me mandou subir e falar rapidamente com a médica obstetra.
Subi e fiz oq ela disse. A médica pegou meu prontuário, minha última ultra e SUMIU.
Voltou as 10 horas da noite e disse que eu ia operar no dia seguinte pq eu estava com menos de 40% de água, e meu bebê não podia mais esperar...
Bebi 1 copo de água e fui dormir.
Mentira.
Rolei pra lá rolei pra ca, e nada do sono.
Fui pro corredor e 3 "amigas" minhas estavam andando pra lá e pra ca pra aumentar a dilatação.
Fiquei com elas até as 5horas.
Depois deitei cochilei ate as 6horas e fui fazer minha higiene para poder operar.
As 7 horas eu desci, as 8 e pouco fui pra sala.
E começou a seção tortura...
Como eu sou gordinha, a anestesista não achava...
E foi assim:
Eu- doutora, a senhora já espetou 3 vezes e nada?
Ela- é que eu não to conseguindo
Eu- INCOMPETENTE, não esta conseguindo ?
Ela- é que vc é gordinha aí fica mais dificil
Eu- que eu sou gordinha vc viu assim que entrou na sala.
oq eu posso fazer pra ajudar?
Ela- abraça mais as pernas
(nisso tinham 2 enfermeiras uma empurrrando a minha cabeça e a outra empurrando as minhas pernas.)
Eu- vai demorar muito? já levei mais 2 espetadas...
Ela- eu ACHO que vou ter que trocar a agulha...
Eu- porraaaaaaaa, vc ainda acha?
vc já me espetou 5 vezes caralho. e ainda acha que vai ter que trocar a agulha?
porraaaaaaa troca logo.
(ela saiu da sala e eu tive uma crise de choro, quando ela voltou...)
Ela- peguei uma agulha mais comprida, essa agora vai rapido.
Eu- hum...
Ela- E agora vc esta sentindo alguma coisa?
(quando eu virei pra responder eu ui direto, o corpo TODO anestesiado)
Eu- eu não consigo respirar
Enfermeiro- é normal
Eu- normal pq nao é a tua mãe. eu não consigo respirar. socorro.
(ele foi e colocou o oxigênio em mim e eu apaguei)

Acordei com a médica gritando
Nasceus nasceu. Que horas são?
E alguém respondeu 10:02

Apaguei de novo e acordei com o enfermeiro:
Ele- mamãe olha seu filhinho
Olha mamãe como ele é lindo.
Dá um beijinho nele.

E eu apaguei de novo.
Quando acordei olhei pro lado procurando meu amor, minha razão e lá estava ele, deitadinho cheio de luzes em cima dele.
Cena da qual eu jamais me esquecerei.
Fui pro quarto pós parto.
Senti calafrios, 
A enfermeira apertando meu peito pra sair o leite e não saia nada.
Meu filho ali nos meus braços e eu sem saber oq fazer. Só chorava.
Eu não tinha leite. E agora?
Até que as 11 horas da noite eu subi pro quarto.
Tomei meu banho, a mãe da menina que tava do meu lado que me ajudou, deu o leite e trocou a fraldinha dele...
Na manhã de domingo, no dia 4 de Setembro de 2011, minha mãe chegou lá no quarto e foi a maior felicidade.
Aí, eu tirei a primeira foto nossa.



E mandei para a pessoa que esteve desde o dia 31 que eu me internei até o dia que eu saí do hospital ao meu lado,
Me dando conselhos, aturando meus repentes de humor,
ficando acordada comigo nas madrugadas, sendo oq eu estava precisando e muito que alguém fosse.

(Eu tinha uma namorada que se intitulava o pai do meu filho. acho isso um absurdo e briguei com ela. então ela se intitulou a sapapai do meu filho. aff's
ninguém merece...
ela enquanto eu estava no hospital, foi pra parada gay, pra boate, e quando pedi pra ela ir me visitar ela disse que estava trabalhando de mais.)
Mas isso não vem mais ao caso.
Uma fotografa me adicionou no facebook, achando um máximo eu estar grávida e estar namorando uma menina, nós conversamos muito, desde o dia 27 ate o dia 31.
E dia 31 ela foi a melhor coisa que me aconteceu.
Como eu já disse e não canso de repetir, ela foi exatamente o que eu precisava.
Foi meu alicerce pra eu não surtar.
E sabem, essa foto foi pra ela.
A terceira pessoa que viu meu filho.
(eu e minha mãe fomos a primeira e a segunda)
E no dia 2 de outubro, ela veio de um reino tão tão distante (Barra Mansa), para nos conhecer.
Resultado?



Ela se tornou o grande amor da minha vida. E ela será a pessoa que estara ao meu lado quando eu engravidar de novo da nossa menininha ou do nosso menininho.
Ela será sempre a pessoa que esteve ao meu lado quando precisei, e que ainda esta quando preciso.
Ela troca as fraldas do NOSSO pequeno príncipe,
ela da mamadeira e faz ele arrotar,
ela tira 1.500 fotos dele,
ela beija ele até ele dormir,
ela tira meu peito pra fora, coloca na boca dele e guarda meu peito de novo,
ela faz de tudo que pode e não pode pra ver a gente feliz.
E ela consegue.
Tatiana Santos, eu e o Kael amamos você!






Um comentário:

  1. Eu fiquei, fico e ficaria.
    Eu faço, re-faço e tre-faço mil vezes se for preciso, porq vocês são minha base, minha estrutura, sei que ainda temos muito o que viver, muito o que enfrentar, que tenhamos sabedoria, humanidade e respeito uma com a outra, que sejamos nossa. Não importa se estou a 3h ( as vezes menos ) longe de você, o importante e o que eu te passo, o que vc me passa e o que ele passa pra gente. E um aprendizado mutuo, um aprendizado continuo, um respeito fora do comum, eu amo incondicionalmente viver essa parte da minha vida com você, esse inicio com ele, essa junção com nós! Eu quero viver com vocês mais uns 200 anos... Esse é o nosso inicio, o inicio de uma familia tão comum daqui por diante.
    Eu te amo Nenis. Eu te amo PP.

    Por: Tatá

    ResponderExcluir